Ocorreu um erro neste gadget

segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Imperialismo

Por Desconhecido
Imperialismo é a prática através da qual, nações poderosas procuram ampliar e manter controle ou influência sobre povos ou nações mais pobres.

Algumas vezes o imperialismo é associado somente com a expansão econômica dos países capitalistas; outras vezes é usado para designar a expansão européia após 1870. Embora Imperialismo signifique o mesmo que Colonialismo e os dois termos sejam usados da mesma forma, devemos fazer a distinção entre um e outro.

Colonialismo normalmente implica em controle político, envolvendo anexação de território e perda da soberania.

Imperialismo se refere, em geral, ao controle e influência que é exercido tanto formal como informalmente, direta ou indiretamente, política ou economicamente.
Ações imperialistas na África e na Ásia

- África
Na metade do século XIX a presença colonial européia na África estava limitada aos colonos holandeses e britânicos na África do Sul e aos militares britânicos e franceses na África do Norte.

A descoberta de diamantes na África do Sul e abertura do Canal de Suez, ambos em 1869, despertaram a atenção da Europa sobre a importância econômica e estratégica do continente. Os países europeus rapidamente começaram a disputar os territórios.

Em algumas áreas os europeus usaram forças militares para conquistar os territórios, em outras, os líderes africanos e os europeus entraram em entendimento à respeito do controle em conjunto sobre os territórios. Esses acordos foram decisivos para que os europeus pudessem manter tudo sob controle.

Grã Bretanha, França, Portugal e Bélgica controlavam a maior parte do território africano, a Alemanha também possuía lá, muitas terras mas, as perdeu depois da I Guerra Mundial.

Os estilos variavam mas, os poderosos colonizadores fizeram poucos esforços para desenvolver suas colônias. Elas eram apenas locais de onde tiravam matérias-primas e para onde vendiam os produtos manufaturados.

Talvez o pior legado do Colonialismo tenha sido a divisão da África em mais de 50 Estados cujas fronteiras foram demarcadas sem dar a menor importância aonde as pessoas viviam e como organizavam sua própria divisão política.

As fronteiras atuais, em geral, dividem uma única comunidade étnica em duas ou mais nações. Por exemplo: embora a maioria dos Somalis vivam na Somália, eles constituem uma significativa minoria no Kênia e na Etiópia e muitos deles gostariam de ser cidadãos da Somália.

Outro legado ruim do Colonialismo foi o seu efeito na vida econômica dos povos africanos. O sistema colonial destruiu o padrão econômico que lá existia. O colonialismo também ligou a África economicamente às grandes potências e os benefícios desse sistema sempre vão para os países poderosos e nunca de volta para África.

A história da exploração econômica teve um papel importante na forma como certos governos africanos independentes, se preocuparam em desenvolver suas próprias economias. Alguns países como a Costa do Marfim, criaram uma base econômica orientada para a exportação dentro das regras coloniais. Outros, como a Tânzania, procuraram redirecionar sua economia para a produção de grãos e de bens necessários para o seu povo.

O terceiro mal causado pelo colonialismo foi a introdução das idéias européias de superioridade racial e cultural, dando pouco ou nenhum valor às manifestações culturais dos povos africanos. Aos poucos os africanos estão recuperando o orgulho por sua cor, raça e cultura.

Ásia

O período da conquista européia na Ásia começa por volta de 1500 e continua até a metade do século 20 . Alguns historiadores acreditam que esse período ainda não terminou.

O interesse europeu pela Ásia começou com a curiosidade e se tornou o desejo de explorar as riquezas deste continente. Para isso, os europeus tiveram que conquistar e colonizar essas terras, isso aconteceu nos séculos 19 e 20. Na época da I Guerra Mundial, a maior parte da Ásia estava sob controle europeu.

Três ou quatro séculos de contato e controle europeu trouxeram boas e más conseqüências para Ásia. As contribuições européias foram, novas idéias e técnicas para agricultura, indústria e comércio, saúde e educação e administração política.

Poucas culturas asiáticas estavam aptas para se adaptar a essas novas regras e idéias, mas aquelas que, como o Japão, conseguiram, tiraram muito proveito após sua independência.

Dentre os problemas do Colonialismo, a exploração das riquezas, que os europeus levavam para as metrópoles, a divisão da Ásia sem levar em conta suas culturas, povos e regiões físicas. Houve também os problemas políticos e sociais causados pelas minorias estrangeiras, como a cultura francesa na Indochina, que se chocava com a cultura existente nesse país.

Até hoje existem problemas desse tipo nas nações asiáticas.
Conclusão

É assim que podemos compreender as dificuldades que certos países têm até os dias atuais. As marcas profundas deixadas pelo colonialismo se refletem em suas culturas, políticas, economias e são vistas com clareza nas guerras e massacres causados por diferenças étnicas. São países ainda, de certa forma, dominados pelas nações poderosas

É a esse domínio que chamamos Imperialismo.

quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

A Primeira Guerra Mundial (1914-1918)

História da Primeira Guerra Mundial, antecedentes, conflitos econômicos, concorrência industrial e comercial, Tríplice Aliança e Tríplice Entente, as trincheiras, participação das mulheres, novas tecnologias, Tratado de Versalhes.

Antecedentes

Vários problemas atingiam as principais nações européias no início do século XX. O século anterior havia deixado ferida difíceis de curar. Alguns países estavam extremamente descontentes com a partilha da Ásia e da África, ocorrida no final do século XIX. Alemanha e Itália, por exemplo, haviam ficado de fora no processo neocolonial. Enquanto isso, França e Inglaterra podiam explorar diversas colônias, ricas em matérias-primas e com um grande mercado consumidor. A insatisfação da Itália e da Alemanha, neste contexto, pode ser considerada uma das causas da Grande Guerra.

Vale lembrar também que no início do século XX havia uma forte concorrência comercial entre os países europeus, principalmente na disputa pelos mercados consumidores. Esta concorrência gerou vários conflitos de interesses entre as nações. Ao mesmo tempo, os países estavam empenhados numa rápida corrida armamentista, já como uma maneira de se protegerem, ou atacarem, no futuro próximo. Esta corrida bélica gerava um clima de apreensão e medo entre os países, onde um tentava se armar mais do que o outro.

Existia também, entre duas nações poderosas da época, uma rivalidade muito grande. A França havia perdido, no final do século XIX, a região da Alsácia-Lorena para a Alemanha, durante a Guerra Franca Prussiana. O revanchismo francês estava no ar, e os franceses esperando uma oportunidade para retomar a rica região perdida.

O pan-germanismo e o pan-eslavismo também influenciou e aumentou o estado de alerta na Europa. Havia uma forte vontade nacionalista dos germânicos em unir, em apenas uma nação, todos os países de origem germânica. O mesmo acontecia com os países eslavos.

O início da Grande Guerra

O estopim deste conflito foi o assassinato de Francisco Ferdinando, príncipe do império austro-húngaro, durante sua visita a Saravejo (Bósnia-Herzegovina). As investigações levaram ao criminoso, um jovem integrante de um grupo Sérvio chamado mão-negra, contrário a influência da Áustria-Hungria na região dos Balcãs. O império austro-húngaro não aceitou as medidas tomadas pela Sérvia com relação ao crime e, no dia 28 de julho de 1914, declarou guerra à Servia.

Política de Alianças

Os países europeus começaram a fazer alianças políticas e militares desde o final do século XIX. Durante o conflito mundial estas alianças permaneceram. De um lado havia a Tríplice Aliança formada em 1882 por Itália, Império Austro-Húngaro e Alemanha ( a Itália passou para a outra aliança em 1915). Do outro lado a Tríplice Entente, formada em 1907, com a participação de França, Rússia e Reino Unido.

O Brasil também participou, enviando para os campos de batalha enfermeiros e medicamentos para ajudar os países da Tríplice Entente.

Desenvolvimento.

As batalhas desenvolveram-se principalmente em trincheiras. Os soldados ficavam, muitas vezes, centenas de dias entrincheirados, lutando pela conquista de pequenos pedaços de território. A fome e as doenças também eram os inimigos destes guerreiros. Nos combates também houve a utilização de novas tecnologias bélicas como, por exemplo, tanques de guerra e aviões. Enquanto os homens lutavam nas trincheiras, as mulheres trabalhavam nas indústrias bélicas como empregadas.

Fim do conflito

Em 1917 ocorreu um fato histórico de extrema importância : a entrada dos Estados Unidos no conflito. Os EUA entraram ao lado da Tríplice Entente, pois havia acordos comerciais a defender, principalmente com Inglaterra e França. Este fato marcou a vitória da Entente, forçando os países da Aliança a assinarem a rendição. Os derrotados tiveram ainda que assinar o Tratado de Versalhes que impunha a estes países fortes restrições e punições. A Alemanha teve seu exército reduzido, sua indústria bélica controlada, perdeu a região do corredor polonês, teve que devolver à França a região da Alsácia Lorena, além de ter que pagar os prejuízos da guerra dos países vencedores. O Tratado de Versalhes teve repercussões na Alemanha, influenciando o início da Segunda Guerra Mundial.

A guerra gerou aproximadamente 10 milhões de mortos, o triplo de feridos, arrasou campos agrícolas, destruiu indústrias, além de gerar grandes prejuízos econômicos.



significado das expressões abaixo:

a- Pan Eslavismo: União de todos os países Eslavos da Europa, sob a direção Russa.

b- Pan Germanismo: União de todos países Germânicos da Europa, sob a direção Alemã.
c- Revanchismo Francês: Isto se deu por causa da unificação alemã, em 1871, e os franceses não conseguiram esquecer que a unificação da Alemanha fora feita as custas de uma guerra contra seu país.

d- Paz Armada: Ao raiar do século XX os líderes dos principais países estavam se preocupando com a produção de novos e mais sofisticados equipamentos de guerra, Até aí a guerra era mais de palavras...
e- Tríplice Aliança: Com intuito da neutralização francesa a Alemanha busca conquistar aliados de peso como o Império Austríaco e a Itália. (os requisitos para esses “aliados de pesos”, não era somente ser uma potência política, mas tinha que estar em pontos estratégicos)
f- Tríplice Entente: Foi organizada para se defender das Alianças das Potências Centrais ( ou Tríplice Aliança ) faziam parte da Tríplice Estente a Inglaterra, Rússia e França.
g- Crise de Marrocos: Marrocos é um africano, e não poderia fugir da regra. Os países africanos eram subdesenvolvidos e sempre precisaram de “ajuda” de países mais ricos ou países europeus. Mas como vários outros países africanos Marrocos é rico em ouro, petróleo, diamantes e demais minerais. Até aí tudo bem, já seria motivo talvez para a completa invasão de algum outro país, mas Marrocos também está localizada as margens do Oceano Atlântico. Então aos olhos dos países europeus Marrocos era um prato cheio, ele oferecia ouro, diamantes e petróleo, e também o controle do comercio marítimo. Enfim...todos queriam pelo menos uma pequena participação da conquista de Marrocos ( isso também explica o por que dos países pequenos entrarem na guerra ). Claro que tudo isso é pelo poder. Em resumo tudo aconteceu por causa da industrialização.

“O Imperialismo é filho do Industrialização, e a guerra é consequência do Imperialismo”

h- Tratados de Versalhes: É um tratado de paz, que aconteceu aproximadamente no ano de 1918 – 1919, que tinha por base culpar os alemães pela guerra e o fazendo assumir toda a responsabilidade e danos causados pela guerra.

i- Liga das Nações: Instituição fundada no ano de 1919, pelo então presidente americano Woodrow Wilson , tinha como principal objetivo de manter a paz mundial.

2) Qual é o objetivo das Alianças?: O objetivo principal das alianças era de estabelecer grande potência política e bélica, para contra atacar países rivais e também para defender países aliados.

3) Relate o fato que serviu de estopim para deflagrar a Primeira Guerra Mundial.: Em 28 de junho de 1914, o arquiduque Francisco Ferdinandes foi assassinado por um grupo de terroristas intitulado “Mão Negra”. Dando início assim a um conflito entre apenas dois países ( Áustria e Rússia ). Mas como o “Mundo Europeu” só estava aguardando uma oportunidade para tomar Marrocos ou para se vingar(enfraquecer) de outros países. Não perderam tempo, nesse mesmo ano de 1914 cada país tomou o seu partido procurando saciar seus interesses políticos e econômicos, inicializando assim a Primeira Guerra Mundial.

4) Quais as penalidades impostas à Alemanha pelo Tratado de Versalhes?

- Foram responsabilizados pela guerra;

- Obrigados a pagar pesadas indenizações aos vencedores;

- Cederam parte do seu território;

- Devolviam à França, à Alsácia-Lorena;

- Cederam suas colônias na África;

- Entregaram a Inglaterra e a França todo material de guerra e maquinas, e ficaram proibidos de se rearmar.

5) Por que a Liga das Nações não conseguiu conquistar seus propósitos?: Foi um fracasso total desde o início, tudo por falta de organização e seriedade, como exemplo disso o próprio governo dos Estados Unidos( do qual surgiu o projeto) não quis tomar parte da organização, tornando assim uma instituição falida.

6)Sintetize os motivos que levaram os Estados Unidos a emergir como grande potência mundial após a Primeira Guerra Mundial.

“Financiador da Pós Guerra”

Este é o termo que eu uso para explicar como o Estados Unidos se tornou a maior potência mundial.

Como consequência da guerra não sobrou muito dos países europeus. E então surge os Estados Unidos, forte e intacto(por não ter sofrido nenhum efeito da guerra) oferecendo o seu capital aos países europeus para se reestruturarem. Sendo assim o Financiador dos países atingidos pela guerra.

Conclusão:

O que todos estavam querendo, mas que só os Estados Unidos conseguiu é:

“TER O MUNDO NA PALMA DA MÃO”

A primeira Guerra Mundial